sexta-feira, 8 de maio de 2009

Jader chama auxiliares de Ana Júlia de “fofoqueiros”

O deputado federal Jader Barbalho, presidente regional do PMDB, chamou de “fofoqueiros” a auxiliares – que ele não nominou - da governadora Ana Júlia Carepa, classificou como um “amontoado de besteiras” uma auditoria feita no Hospital Ofir Loyola e disse que os petistas deveriam fazer como o PMDB, que, segundo ele, “tem colaborado com o governo”.
Jader se manifestou pela primeira vez publicamente sobre a crise no relacionamento entre PMDB e PT ao falar durante cerca de 20 minutos, hoje de manhã, no programa “Clube da Manhã”, apresentado pelo radialista Nonato Cavalcante na Rádio Clube do Pará, emissora do próprio deputado.
“A vida é um permanente contraditório, seja nos grupos, seja nas famílias, seja nas empresas e muito mais na vida política”, disse Jader, quando o locutor pediu para que ele falasse sobre o relacionamento entre PMDB e PT, que nos últimos dias resultou na saída de toda a diretoria do Ofir Loyola, indicada pelo PMDB, e do diretor-geral do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Lívio Assis, também indicado pelo partido.
“O que existe é muita fofoca de gente do próprio governo, ou por inveja ou por burrice mesmo. Por isso mesmo essa fofoca em relação ao Ofir Loyola. Inventaram essa auditoria [feita por técnicos da Auditoria Geral do Estado]. Não há auditoria nenhuma, mas um amontoado de bobagens, de besteira. O que existe é muita fofoca e muita besteira. Os auxiliares da governadora deveriam é ajudá-la; os deputados [do PT] também. Não devemos perder tempo com besteira. Isso só pode ser coisa de desocupado. Vamos ajudar [a governadora]. O que o povo quer é trabalho, e não fofoca”, disse Jader.

“Eleição, só no ano que vem”
O deputado, que semanalmente participa do programa, durante o qual responde a perguntas feitas pelo apresentador e às vezes responde também às intervenções de ouvintes, foi como sempre econômico nas palavras ao apresentar cenários eleitorais futuros. Quando indagado por dois ouvintes se ia se candidatar ao governo do Estado em 2010, Jader desconversou: “Eleição, só no ano que vem. Ano que vem é que eu vou decidir”.
Ele não perdeu a oportunidade de bater duro no prefeito Duciomar Costa e nos vereadores governistas que estão barrando a abertura, na Câmara Municipal, da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caos na Saúde pública.
“Se a Câmara tivesse maturidade e o prefeito também, essa palhaçada já teria acabado. Porque a população precisa saber onde as causas nos problemas da Saúde, já que não existem efeitos sem causas. Precisamos saber para onde está indo o dinheiro da Saúde. Quem não deve não teme. Não sei por que não pode haver uma comissão para apurar tudo isso. Quando se quer esconder, então aí tem coisa. Aí tem coisa. Por isso é esse caos, essa vergonheira toda [na Saúde] que estamos vendo”, disse Jader.
O presidente do PMDB defendeu como “fundamental” a necessidade de reabertura do diálogo do governo com os professores e com o funcionalismo em geral, para discutir questões salariais.
Ele propôs à governadora Ana Júlia que crie um conselho de política salarial, uma experiência que, segundo o deputado, deu certo em seus dois governos. O conselho, explicou Jader, permitiria aos representantes do funcionalismo acompanhar as condições das condições das contas do Estado. Com isso, ajustariam as suas reivindicações à realidade financeira.

7 comentários:

Toninho Freire disse...

Devemos nos perguntar como a cidade chegou a este caos?
na saúde pública(Ofir Loyola), na segurança pública e até na política, com a falha tentativa de instalação de uma CPI, que no final das contas era acertado e politicamente correto a se fazer. Culpa do PT? talvez. Culpa do Jáder? talvez. Culpa do sistema? talvez. Estas incertezas só serão resolvidas através nosso senso comum na análise dos fatos.

Anônimo disse...

O Dr. Jader deveria era peitar a Ana dos Kits e tambem ter peito de retirar o pessoal do PMDB que está empregado neste malfadado Governo. Não é possivel que somente o pessoal do PMDM faça barbalhidades neste Governo. O pessoal do mensalão deita e rola e não é feita nenhuma auditoria. Ana te cuida que a cobra pode te morder.

Anônimo disse...

Bemerguy eu quero ver se os tucanos vão cometer duas vezes o mesmo erro, ou seja aceitar mais uma vez a imposição goela abaixo do turrão Almir Gabriel que quer se vingar do Jatene indicando o Mário Couto para o governo, e esse último está é interessado em eleger a sua filha Cilene Dep. Estadual e sonha em faze-la Presidente da Alepa. Ou seja ele não quer mais nada né?

O CANDIDATO PARA O BEM DO PARÁ TEM QUE SER O SIMÃO JATENE E PONTO FINAL.


Obs: Almir Gabriel por favor vá para São Paulo de uma vez por todas e respeite a vontade da maioria do PSDB.

Anônimo disse...

É preciso ser justo e não culpar todo um Órgão (AGE) que na sua essência deveria ser um Órgão eminentemente de Estado, porém por influências políticas ocorrem tais "fofocas" como disse o Deputado, pois quem tiver acesso ao documento que provocou todo esse episódio vai poder constatar que o mesmo foi assinando e executado exclusivamente pelo gestor do Órgão (AGE), sem participação de seu quadro técnico (leia-se Auditores efetivos e concursados) como foi equivocadamente comentado pelo Deputado Jader Barbalho. Vamos ser justos, pois o Órgão zela pelo controle dos gastos do Governo e tem atuação reconhecida na área de Controle Interno e na transparência dos gastos do Governo.

Anônimo disse...

Jáder Barbalho disse o que todo mundo já sabia na cidade: este governo do PT adora fofoca e a AGE atua como braço político do governo. Aliás, a AGE poderia ser extinta, ninguém sentiria falta alguma porque o trabalho que faz pode ser executado perfeitamente pelas assessorias jurídicas de cada órgão, bem como pelos técnicos do TCE, que, de fato, o órgão responsável pela fiscalização horizontal da administração pública estadual. Portanto, nota 10 para o deputado Jáder Brabalho e 0 para a AGE, que, se fosse extinta, ninguém sentiria falta dada a sua notória inutilidade institucional.

Paraense disse...

Somente uma pessoa sem nenhum conhecimento administrativo e que nunca leu a Constituição Brasileira poderia falar uma asneira dessas. A AGE é o órgão de controle interno do Estado e deve ser respeitada. Seus trabalhos são técnicos e imparciais. Porém as vezes atinge interesses escusos e ai deixa algumas pessoas desconconfortáveis, faz parte!!

Anônimo disse...

Não há mais dúvidas, este é o pior governo q este Estado já viu. Não há um só setor q funcione a contento. Espero q o PMDB não demore a sair deste barco furado pois está preocupando não só os peemedebistas mas o povo do Pará. Chega de incompetência!!!