segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Youtuber tira a mãe do Brasil após ameaças. Esse é o país do tolerância.


Esse é Felipe Neto, escancarando publicamente as ameaças que ele e sua família estão recebendo.
O youtuber cancelou sua participação no Educação 360, evento do qual participaria nesta terça-feira (17), após sofrer ameaças contra a sua vida e a da sua família, conforme revela comunicado enviado por sua equipe.
Esse é o Brasil dos nossos sonhos, gente.
É o Brasil grande.
Esse é o Brasil da tolerância.
É o Brasil da diversidade.
Do respeito às diferenças.
Da concórdia.
Já até comprei minha passagem pra morar no Brasil.
Porque aqui em Alesund, na Noruega, está uma coisa horrorosa.
Aqui, é só prefeito mandando censurar livros e revistas.
Aqui, é só presidente denunciando que moleques estão usando bicicleta pra tocar fogo em floresta.
Aqui, é só presidente mandando as pessoas fazerem “totô” um dia sim, outro não, pra preservar o meio ambiente.
Enfim, vou pro Brasil.
Porque aqui na Noruega, vish...!

Oito denunciados por crimes na exploração de madeira são condenados a mais de 90 anos de prisão

Resultado de imagem para exploração madeira
A Justiça Federal aplicou penas que ultrapassam 90 anos de prisão a oito réus denunciados pelo Ministério Público Federal por envolvimento em fraudes na comercialização de madeira descobertas na Operação Ouro Verde II, deflagrada pela Polícia Federal e outros órgãos em junho de 2007, no estado do Pará.
Na sentença (veja a íntegra neste link), assinada no dia 10 de setembro, mas divulgada somente nesta segunda-feira (16), o juiz federal Rubens Rollo D’Oliveira, da 3ª Vara, especializada no julgamento de ações criminais, condenou José Roberto Farias da Silva e Alisson Ramos de Moraes à pena de 19 anos e cinco meses cada um. Raphaela Correa dos Santos e Carlos Henrique Oliveira foram punidos, respectivamente, com 16 anos e oito meses e dez anos de reclusão.
O magistrado sentenciou ainda Miguel Márcio Moreno D’Agostino e Kelly Cristina Barra Correia a oito anos e quatro meses cada, Carlos André Ferreira dos Santos a seis anos e Luiz Carlos Araújo Arthur a cinco anos. Dos oito réus, os dois últimos são os únicos que deverão cumprir pena em regime semiaberto, enquanto os outros deverão ficar em regime fechado. Da sentença ainda cabe recurso ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília (DF).
O principal objetivo da organização criminosa, conforme a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), era o enriquecimento criminoso de seus integrantes e a exploração irracional de recursos florestais que causou danos ao meio ambiente, por meio de fraudes no DOF (Documento de Origem Florestal), emitido pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O documento representa a licença obrigatória para o controle do transporte e armazenamento de produtos florestais.
Segundo o MPF, a fraude consistiu em várias inserções de dados falsos no sistema DOF, gerido pelo Ibama, e posteriormente no sistema Sisflora, de responsabilidade da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente (Sectam), para criar créditos irreais em favor de diversas empresas, inclusive “fantasmas”, possibilitando, mediante acesso ao Cadastro Técnico Federal (CTF), a transferência de créditos para “clientes” da organização.
Desmatamento - O MPF informou ainda que outro modo de atuação da organização criminosa foi a utilização do “ajuste” de créditos sem prévio procedimento administrativo, resultando no lançamento de créditos no banco de dados do sistema virtual do DOF. Com essas condutas, possibilitou-se a emissão irregular de inúmeros DOFs com a finalidade de dar aparência de legalidade ao transporte de madeira e carvão, provenientes de desmatamento ilegal realizado na Região Amazônica.
Na sentença, Rollo destaca que um relatório de fiscalização do Ibama registra que somente uma empresa, a J. O. Lima & Cia. Ltda - EPP, emitiu em apenas cinco dias 18.792 DOFs, equivalentes à venda de 600 mil metros cúbicos de madeiras extraídas ilegalmente. Em decorrência desse fato, foi determinado o bloqueio judicial do sistema DOF para impedir o acesso por parte das empresas compradoras e, deste modo, cessar a atividade ilícita.
Mesmo assim, segundo a sentença, descobriu-se que algumas empresas compradoras reativaram indevidamente suas “contas” perante o Ibama, utilizando senha pessoal de servidores públicos, para enviar e/ou receber os produtos florestais. Para tanto, contaram com o auxílio de hackers e também realizaram grande movimentação financeira com a venda ilícita dos créditos virtuais.
A decisão destaca que, considerando os documentos apreendidos, os levantamentos feitos pelo Ibama, os depoimentos policiais e as interceptações telefônicas, a denúncia do MPF concluiu pela existência de dois grupos distintos de fraudadores, “sendo possível identificar seus organizadores, clientes, modo de atuação, além da distribuição das funções e, principalmente, que tinham em comum o uso de créditos fictícios criados em nome da pessoa jurídica J. O. Lima & Cia. Ltda. e o uso de senhas de servidores públicos do Ibama e Sectam”.

TCE aprova, com recomendações, contas de Jatene do exercício de 2018


O Tribunal de Contas do Estado do Pará (TCE-PA) apreciou como regulares as Contas de Governo-Exercício 2018, em sessão extraordinária ocorrida nesta segunda-feira, 16, conduzida pelo presidente do TCE-PA, conselheiro André Dias.
Os conselheiros Luís Cunha e Rosa Egídia Lopes acompanharam o voto do relator do processo, conselheiro corregedor Odilon Teixeira, que emitiu parecer favorável às contas com 31 recomendações, baseado em relatório técnico produzido por comissão de análise composta por servidores da Casa.
Já os conselheiros Nelson Chaves, Lourdes Lima e Cipriano Sabino consideraram as contas regulares com ressalva. O conselheiro presidente André Dias decidiu seguir o voto do relator, compondo, assim, a maioria pela regularidade das contas. 
No dia 29 de maio, após apreciação prévia das Contas, o TCE-PA concedeu prazo ao ex-governador Simão Jatene para que apresentasse contrarrazões ao posicionamento do Ministério Público de Contas do Estado do Pará (MPC-PA) pela emissão de parecer prévio rejeitando as Contas de Governo. A concessão do prazo obedeceu à necessidade do contraditório e da ampla defesa.
Segundo o voto do relator, as demonstrações contábeis evidenciaram equilíbrio das contas públicas, sendo observados os limites constitucionais legais atinentes à responsabilidade fiscal. A situação patrimonial do Estado quanto às disponibilidades financeiras manteve-se positiva e a capacidade de gestão das dívidas estaduais se mostra em condição favorável. Desta forma, o conselheiro Odilon Teixeira apresentou parecer favorável à aprovação, pela Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa), das Contas de 2018.
O Pleno deliberou ainda que sejam adotadas recomendações no tocante aos instrumentos de controle, ao controle interno do Poder Executivo, fiscalização em temas específicos, ao planejamento e execução orçamentária e à gestão da educação.
De acordo com o voto do conselheiro Odilon Teixeira, o Governo do Estado terá prazo de 150 dias, a contar da data da publicação do parecer prévio, para apresentar ao TCE-PA as providências adotadas para o atendimento das recomendações, o que subsidiará a fiscalização pelo Tribunal quanto ao cumprimento das medidas.
Os autos do processo serão, incluindo o parecer prévio, encaminhados à Alepa, que tem a atribuição legal de julgar as Contas de Governo. Consonante com o art. 1º da Lei Orgânica do TCE-PA, como órgão de controle externo, o Tribunal tem a competência de “apreciar as contas prestadas anualmente pelo governador, mediante parecer prévio”.
Divergência - O MPC-PA divergiu dos argumentos da defesa do ex-governador Simão Jatene, mantendo as alegações proferidas na primeira sessão extraordinária de apreciação das Contas de Governo.
O MPC-PA apontou a ocorrência, em 2018, de resultado primário deficitário acima de R$ 1, 4 bilhão, o não contingenciamento de despesas, criação de créditos suplementares com novas dotações orçamentárias decorrentes de superávit financeiro ou de excesso de arrecadação em cenário de contingenciamento obrigatório de despesas, o não atingimento de superávit primário do Programa de Reestruturação e Ajuste Fiscal (PAF), reajuste salarial de servidores sem o devido amparo legal, gasto excessivo com pessoal e aumento de despesa em final de mandato.
O MPC-PA opinou pela rejeição face às irregularidades e impropriedades constatadas, reiterando 32 recomendações do relatório técnico de análise, mais 43 recomendações nas áreas de saúde, educação, segurança pública, saneamento básico e habitação.
Todavia, segundo o voto da relatoria do processo pelo TCE-PA, o Governo não possui total controle sobre fatores que influenciam nas variáveis da equação fiscal, não podendo ser automaticamente responsabilizado em caso de não atingimento de metas.
De acordo com o relatório técnico, "a conjugação entre a receita arrecadada e a despesa executada resultou em déficit de execução orçamentária de R$ 587 milhões, que foi custeado mediante a utilização de superávit financeiro apurado em exercícios anteriores". O exercício financeiro de 2018 encerrou com R$ 1,8 bilhão em caixa. O patrimônio líquido do estado alcançou a quantia de R$ 14,7 bilhões. A diferença entre ativo e passivo financeiros resultou em um superávit financeiro na ordem de R$ 6,3 bilhões.
O resultado primário deficitário de R$ 1,4 bilhão foi ocasionado pela utilização do superávit financeiro acumulado de exercícios anteriores na realização de despesas primárias do exercício corrente. A meta fiscal estabelecida na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) era de superávit de R$ 12,6 milhões.
A análise do cumprimento do PAF extrapola o objeto das contas, além de ser tarefa de competência do Tesouro Nacional. Não há também como falar em ofensa aos artigos 21 e 22 da Lei de Responsabilidade Fiscal, mediante a Lei nº 8.802/18.
A Lei nº 8.802/18 representou ato de revisão geral anual, segundo a inflação, dos salários de todos os servidores do Estado. Desta forma, não foram oneradas as despesas com pessoal e respeitou-se o teto de 95% do limite previsto na legislação.
Acompanharam a sessão extraordinária o procurador geral do Estado, Ricardo Seffer; o secretário adjunto de Tesouro da Secretaria da Fazenda, Lourival de Barros Barbalho Junior; o procurador do Estado, Caio Trindade, representando o ex-governador Simão Jatene; Gilberto Silva, representante do vice-governador Lúcio Vale; e o ex-auditor geral do Estado, Roberto Paulo Amoras.

sábado, 14 de setembro de 2019

Neymar, um gol "romântico" em resposta às vaias


"Neymar, a história de uma noite romântica" é a manchete - romântica, vá lá - disponível neste sábado (14) à noite no portal da France Football, uma das principais revistas de esporte da França e da Europa.
Tudo por causa de um gol de Neymar.
Um golaço.
Um voleio.
Ou uma meia bicicleta, como queiram.
Mas um golaço marcado aos 46 minutos do segundo tempo, garantindo a vitória por 1 a 0 do PSG sobre o Strasbourg.
E isso depois de Neymar passar boa parte do jogo sendo alvo de vaias de uma parte da torcida do PSG, porque não queria mais ficar no clube.
É fato: só o futebol redime Neymar.
Se ele compreender isso, se ele se convencer disso, acabando se convencendo de que é um gênio dentro do gramado.
Já fora dele...
Vish!

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Acordo restabelece a normalidade das visitas de advogados a casas penais e garante perícias médicas em presidiários


A Justiça Federal homologou por sentença, nesta terça-feira (10), um acordo (veja íntegra da ata neste link) que restabelece a visita regular de advogados aos presos que estão sob custódia do estado do Pará no Complexo Penitenciário de Americano, situado no município de Santa Izabel. As visitas dos familiares dos presos será restabelecida a partir de 21 de setembro.

O Ministério Público Federal (MPF), segundo o acordo, também poderá requisitar aleatoriamente a presença de presos para que sejam periciados por médicos do Instituto Renato Chaves ou outra instituição idônea, para verificar eventuais evidências de crimes de tortura que estariam ocorrendo desde que a Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) assumiu o controle de algumas casas penais do Pará, no dia 5 de agosto.
As visitas ao presídio de Americano já poderão ser retomadas a partir desta quarta-feira (11), garantida a entrevista pessoal e reservada de advogados e defensores públicos com os seus clientes, independentemente de agendamento, respeitada a ordem de chegada.
No Centro de Reeducação Feminino (CRF) e no Centro de Triagem Metropolitano 2 (CTM2), os mesmos procedimentos só deverão ocorrer a partir de segunda-feira (16), uma vez que, em ambos os estabelecimentos prisionais, a equipe que atua na Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) ainda não concluiu o procedimento de separação das presas, retirada de celulares e eventuais instrumentos que possam ser utilizados para prática de crime.
O acordo, homologado pelo juiz federal Jorge Ferraz, durante audiência de cerca de quatro horas ocorrida na 5ª Vara da Justiça Federal, em Belém, obteve a concordância de membros do Ministério Público Federal (MPF), da Defensoria Pública da União (DPU), Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Pará, Procuradoria Geral do Estado (PGE), Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe), Conselho Penitenciário (Copen), Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas (Abracrim) e da Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SPDDH).
Denúncias - A audiência foi designada no âmbito de ação ajuizada dia 30 de agosto, pelo MPF, que ingressou em juízo após receber relatos de possíveis torturas e tratamento desumano, cruel ou degradante, por agentes federais de execução penal da FTIP, aos presos do Complexo Penitenciário de Americano e às presas do Centro de Reeducação Feminino, localizados, respectivamente, nos municípios de Santa Izabel e Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém.
Na ação, o MPF o pediu ainda que a União e o Estado do Pará sejam obrigados a providenciar, de forma urgente, tratamento de saúde (médico – inclusive psiquiátrico –, farmacêutico, odontológico e psicológico) aos detentos, com prioridade para os que relatam ou apresentem ferimentos e machucados, e os doentes.
Como parte do acordo homologado pela Justiça Federal, serão retomadas as fiscalizações do Copen, independentemente de agendamento. A partir desta quarta-feira, os conselheiros já poderão fazer inspeções no Presídio de Americano e a partir do dia 16 de setembro, no CTM2 e CRF. Além de integrantes do Copen, poderão participar da fiscalização programada representantes da OAB-PA, do MPF, da Defensoria Pública do Estado (DPE) e da DPU, num total de nove pessoas em cada visita.

Camillo Vianna, um visionário que se fez referência do ambientalismo na Amazônia


Quando comecei no jornalismo, no início dos anos 1980, o médico e professor Camillo Vianna (na foto extraída do portal da UFPA) era uma das maiores referências do ambientalismo – e do ambientalista – na Amazônia.
Ele representava uma pauta certeira para os então chamado pauteiros – ou chefes de reportagem – de jornais quando questões ambientais, naquela época ainda timidamente tratadas, entravam em discussão e exigiam matérias jornalísticas mais apuradas.
Camillo Vianna era o especialista que, ao ver mangas apanhadas ainda verdes, não maduras, espalhadas em ruas e calçadas de Belém, indignava-se não pela agressão associada aos frutos que se estragaram, mas à mangueira de onde foram derrubados.
Camillo era assim.
Via o meio ambiente, sobretudo o amazônico, como um sistema, um complexo sistema de biodiversidade que afetava individualmente uma pessoa, uma coletividade, uma cidade, um estado, um país. E a Amazônia inteirinha.
Camillo falava forte.
Estridente.
Firme.
Decidido.
Era um visionário, sim.
Mas não era desses que se limitava a sonhar, compassivo e complacente, que a integração ambiental perfeita ocorreria quando homem e natureza convivessem harmonicamente - um sustentando-se da outra, a outra sustentando-se do zelo devido pelos que devem preservá-la.
Camillo Vianna, ao contrário, pugnava por práticas mais afeitas a preservar o meio ambiente, literalmente bradava suas indignações para que seu idealismo não fenecesse no terreno infértil da cantilena dos que usam as bandeiras ambientalistas apenas e tão somente para se exibir.
A vida, no seu roteiro implacável rumo ao ocaso, findou para Camillo Vianna na noite desta terça-feira (10), quando ele nos deixou aos 93 anos de idade.
Mas sua vida vai continuar ecoando para sempre, como exemplo a ser seguido neste país que, infelizmente, entrou numa trajetória de deboches, infâmias, disparates, maluquices e extremismos ideológicos que levam um presidente da República a apresentar uma receita básica – e escatológica, evidente – para quem deseja preservar o meio ambiente: faça cocô um dia sim, outro não.
Já idoso, e com a saúde debilitada, Camillo Vianna já não era consultado para comentar excrescências como essa.
Tomara que o tenham poupado de ouvir essas coisas – horríveis, horrorosas, em tudo reveladoras das sendas da mediocridade pelas quais o País está enveredando.
E com o País, esta Amazônia, presa das queimadas, da devastação e de uma política ambientalista verdadeiramente predatória, inaugurada há oito meses.
Oito meses que têm o peso e o sentido de 80 anos de retrocesso.

Beto Faro será o novo presidente do PT no Pará

Resultado de imagem para deputado beto faro

O deputado federal Beto Faro venceu as etapas municipais do Processo de Eleições Diretas (PED) e será o novo presidente do PT no Pará nos próximos quatro anos. As chapas que apoiam o parlamentar obtiveram mais de 50% dos votos, conquistando uma grande vitória e garantindo ampla maioria de delegados e delegadas ao congresso estadual do PT/Pará. A eleição ocorreu no domingo, com a participação de mais de 17 mil militantes petistas paraenses que foram às urnas em todo o estado. A apuração dos votos encerrou-se na segunda-feira (09).
“Estou preparado para assumir à presidência do PT-Pará. A nossa vitória só foi possível pelo trabalho valoroso de cada companheiro e companheira. São as nossas lideranças e a militância que ajudam a construir o Partido dos Trabalhadores no estado do Pará e nacionalmente. Hoje, o PT é o maior partido de Esquerda da América Latina”, disse o deputado.
Beto Faro emitiu nota aos filiados, destacando o processo democrático “que foi extremamente importante para  a história do PT e de fortalecimento do projeto do Partido em nível nacional, que quer ver Lula Livre”. Ele ainda parabenizou e cumprimentou os companheiros e companheiras, que foram eleitos nos diretórios municipais e afirmou que “teremos muito trabalho pela frente”. 
“O PT está mais vivo para exigir a liberdade do Lula, preso político e apoiar a reeleição da companheira deputada Gleisi Hoffmann na presidência do PT Nacional. O meu compromisso é construir um PT forte e unido, de representação dos movimentos sociais no Estado e de Oposição ao governo Bolsonaro. Vou trabalhar para honrar todos os votos de filiados e filiadas do PT-PA”, afirmou. 
Nas eleições municipais do PT, os filiados e filiadas petistas elegeram presidentes municipais e zonais, diretórios municipais e zonais, delegações aos Congressos Estaduais e ao Congresso Nacional do PT – Lula Livre.

Com informações da Assessoria de Comunicação

domingo, 8 de setembro de 2019

Ópera do Século XVIII, entre “égua” e celulares, abre em grande estilo festival no Theatro da Paz



Não poderia começar melhor o XVIII Festival de Ópera do Theatro da Paz.
Na noite de sexta-feira (06), a casa lotou na primeira apresentação de Il Matrimonio Segreto (O Matrimônio Secreto), obra-prima de Domenico Cimarosa, que tem direção musical e regência do maestro Miguel Campos Neto e direção cênica de Walter Neiva.
Ao que se diz, quando a ópera foi apresentada pela primeira vez, em Viena, em 7 de fevereiro de 1792, apenas dois meses depois do falecimento de Mozart na mesma cidade, o Rei Leopoldo II, que estiveram presente à estreia, levou todo o elenco para o palácio logo depois da apresentação. E a ópera, a pedido dele, foi encenada na íntegra pela segunda vez, o que é tido como o bis mais longo da história.
Il Matrimonio Segreto justifica plenamente um bis dessa extensão. Porque é uma comédia operística genuína. Em dois atos, a obra se passa em Bolonha durante o século XVIII e conta a história do comerciante Geronimo, que propõe um dote ao Conde Robinson para que este se case com sua filha mais velha, Elisetta, para que ela se torne parte da nobreza. Como Robinson se apaixona por Carolina, a filha mais nova de Geronimo, que por sua vez está apaixonada por Paolino, empregado do pai. Carolina e Paolino se casam secretamente, o que causa uma grande confusão.
Uma confusão que permitiu a introdução, por duas vezes, de égua! – isso mesmo, o nosso paraensíssimo égua! – na fala dos personagens. Como também o Conde Robinson, em certa fala, prefere o rasga! – em vez da expressão faça rapidamente, em italiano – quando ordena a Paolino que trate de correr dali para dar um jeito de convencer Elisetta a não se casar com ele, o conde. E mais: lá pelas tantas, durante um silêncio opressivo decorrente das tensões que dominam os personagens um pouco antes de Paolino e Carolina revelarem que casaram secretamente, todos passam a mão em celulares e começam a manuseá-los nervosamente, inclusive fazendo selfies.
O elenco, por essas e outras, mostra-se afinadíssimo, mas, pelo menos na opinião deste repórter, quem está mesmo magnífica, no papel de Fidalma, é a mezzo-soprano Edneia de Oliveira.
Na apresentação da opera de estreia deste festival, a secretária de Cultura, Ursula Vidal, destacou que de 90% a 95% de todos os envolvidos na organização e na execução de Il Matrimonio Segreto são paraenses. Um motivo a mais para a apoteose que se vê nas imagens, ao final da apresentação.

Marcelo Crivella é o retrato deste Brasil que, em oito meses, já retrocedeu 80 anos


Fiz esta foto em 2014, em Berlim.
Mostra um beijo – cálido, ardente, ardoroso entre Leonid Brejnev, um dos últimos ditadores da União Soviética comunistas, em Erich Honecker, o último de apenas dois premiês alemães orientais (o outro foi Walter Ulbricht, o homem que construiu o Muro de Berlim em 1961). O autor da obra é o artista russo radicado na Alemanha.
Está na East Side Gallery, a famosa galeria a céu aberto que se estende por cerca de 1.500 metros no lado leste do antigo muro de Berlim, que foi preservado da demolição. Está localizado próximo ao centro de Berlim, na rua Mühlen. A galeria consiste de 105 pinturas de artistas de todo o mundo (veja outras fotos abaixo), retratando as mudanças que rapidamente se operavam, inclusive em decorrência do ocaso de ditaduras comunistas do leste europeu.
Se Marcelo Crivella, prefeito do Rio, visitar Berlim, certamente ficará tentado a mandar colocar um lacre nessa imagem, com a advertência: Imprópria para menores.
Vamos e convenhamos.
Crivella, ao manda recolher livros da Bienal, é a cara, a caratonha do obscurantismo.
É o atraso.
É o medievalismo com tintura de legalismo.
Crivella é a negação da política como prática que confere relevância ao dever do estado de promover os valores de liberdade, tolerância e pluralidade.
Marcelo Crivella é o retrato deste Brasil que, em oito meses, já retrocedeu 80 anos.







 


sexta-feira, 6 de setembro de 2019

"The Guardian" destaca estupefação de bispo sobre incêndios na Amazônia



Espiem só as imagens.
Mostram matéria que está disponível no site do "The Guardian", um dos maiores jornais do Reino Unidos e dos mais influentes da Europa.
O título diz: "Incêndios na Amazônia são 'verdadeiro apocalipse', diz arcebispo brasileiro".
No subtítulo: "Erwin Kräutler diz esperar que o sínodo papal do próximo mês denuncie a destruição da floresta tropical".
Dom Erwin é bispo emérito do Xingu, no Pará.
Diz trecho de matéria:
"Os incêndios na Amazônia são um "verdadeiro apocalipse", de acordo com um arcebispo brasileiro que espera que o sínodo papal do próximo mês no Vaticano denuncie fortemente a destruição da floresta tropical."
Prossegue o "The Guardian":
"Os comentários de Erwin Kräutler colocarão nova pressão sobre o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro , após críticas dos líderes do G7 no mês passado sobre o aumento do desmatamento no maior sumidouro de carbono terrestre do mundo."
Ainda continua o jornal:
"As palavras do arcebispo também destacam uma divisão cada vez maior entre a igreja católica e o movimento pentecostal. O Papa Francisco defendeu um relacionamento mais harmonioso com o mundo natural em prol das gerações futuras, em contraste com os pentecostalistas do mundo novo em rápido crescimento, que formam a base de apoio à exploração de recursos intensificada preconizada por Bolsonaro e Donald Trump."
E então?
O Capitão também vai enfrentar o mundo católico?
A conferir.
Quem quiser ler a matéria na íntegra poderá acessar este link: http://bit.ly/2lzkEvu

Alter do Chão - Terra Encantada

Resultado de imagem para alter do chão

Por FRANCISCO SIDOU, jornalista

Destacar as belezas naturais de Alter do Chão [na reprodução de imagem da TV Tapajós] se torna até redundante diante de tantas matérias veiculadas em importantes veículos de comunicação, nacionais e internacionais, enaltecendo seus encantos.
Estamos voltando de cinco dias maravilhosos naquele recanto, já considerado o Caribe brasileiro. Pudemos então constatar que tudo que se fala de bem de Alter é a mais pura verdade. Praias paradisíacas, gastronomia excepcional, povo hospitaleiro e feliz, clima de sadia confraternização entre irmãos de várias nacionalidades, muitos já morando lá, atraídos sobretudo pela chance de viver com mais qualidade e menos estresse, em contato com a natureza exuberante e com a possibilidade de se banhar nas águas verdes do rio mais bonito do Mundo, que, sem dúvidas, é o Tapajós.
Entre outras observações, pude constatar que Alter do Chão hoje já pode ser considerada uma das "Esquinas do Turismo no Mundo", sobretudo ao ver os transatlânticos que passam ao largo por Belém atracarem lá, cheios de turistas alegres e abonados em dólares para gastar. Diria até que a tão temida Internacionalização da Amazônia já começou por Alter do Chão , não aquela ocupação estrangeira pela força, mas pela sadia convivência, emprego e renda que o Turismo globalizado pode proporcionar.
Essa não é uma ameaça, mas sim uma oportunidade de desenvolvimento que precisa ser acompanhada por ações governamentais que não atrapalhem, mas que favoreçam o crescimento do turismo em Alter do Chão e, de quebra, também em Santarém.
Vou revelar um segredo: estou seriamente inclinado a ir morar na Floresta Encantada de Alter e pedir inscrição na "ONG S.O.S Tapajós"... Espero que me aceitem como voluntário. E que a família também aprove.
Só um porém: a UPA de Alter está sem médicos há mais de cinco meses. A população da Vila precisa se deslocar até Santarém para receber qualquer atendimento médico. E o transporte coletivo também é deficiente.

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Chilenos, tenham orgulho de ser chilenos. Orgulhem-se por ter um presidente que não debocha das vítimas de crueldades.

Resultado de imagem para sebastian pinera

Chilenos.
Tenham orgulho de ser chilenos.
Orgulhem-se por não esquecer, jamais, que ditaduras – de esquerda ou de direita – são repugantes e repulsivas, porque assassinas, eis que ceifam, inclusive, a vida humana e as liberdades.
Chilenos.
Tenham orgulho do presidente que vocês têm, abstraídos seus posicionamentos ideológicos.
No espectro político, o presidente do Chile, Sebastián Piñera, está à direita de Michelle Bachelet, ex-presidente chilena e atualmente alta comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para os direitos humanos, no especto político.
Ele integra o Partido da Renovação Nacional, de centro-direita.
Ela é do Partido Socialista.
Nesta quarta-feira (04), Piñera fez um pronunciamento nacional depois que Bachelet foi atacada de forma solerte, debochada, cruel, covarde, insana e celerada pelo presidente Jair Bolsonaro, com quem, aliás, Piñera tem afinidades ideológicas.
A uma crítica – vejam bem, uma crítica, e não uma ofensa – de Bachelet ao aumento do número de mortes causadas por policiais no Brasil e ao aumento da violência contra defensores dos direitos humanos, Bolsonaro expeliu seus dejetos verbais dizendo o seguinte:

“Ela agora vai na agenda de direitos humanos. Está acusando que eu não estou punindo policiais que estão matando muita gente no Brasil. Essa é a acusação dela. Ela está defendendo direitos humanos de vagabundos.”

Disse mais:

“E ela [Bachelet] diz mais ainda. Ela critica dizendo que o Brasil está perdendo o seu espaço democrático. Senhora Michelle Bachelet, se não fosse o pessoal do Pinochet derrotar a esquerda em 73, entre eles o seu pai, hoje o Chile seria uma Cuba. Acho que não preciso falar mais nada para ela.”

O pai de Bachelet, para quem não sabe, é Alberto Bachelet.
Ele foi um general da Força Aérea do Chile, opositor do golpe militar liderado por Augusto Pinochet em setembro de 1973. Segundo um relatório do Serviço Médico Legal do país, ele morreu vítima dos maus-tratos sofridos após ser preso e acusado pela ditadura de traição à pátria. Michelle Bachelet foi presa um ano depois, em 1975, e também sofreu tortura na detenção.
Pois Piñera, adversário político, repita-se, de Bachelet, e afinado ideologicamente com Bolsonaro, foi a público para dizer o seguinte:

"Não compartilho em absoluto à menção feita pelo presidente Bolsonaro por respeito a uma ex-presidente do Chile e, especialmente, em um tema tão doloroso como a morte de seu pai."

Chilenos.
Tenham orgulho de ser chilenos.
Tenham orgulho do presidente que vocês têm.
Tenham orgulho de seu presidente, que se pauta pelo decoro e pelo respeito que se deve ao cargo de presidente da República em qualquer país democrático.

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Bolsonaro quer um PGR “alinhado” com ele. Será um “terraplanista”?

Imagem relacionada

Está bem que as alocuções de Bolsonaro são tresloucadas, ainda que, como dizem por aí os especialistas em linguagens extremadas, seus discursos estejam sendo feitos na medida para manter a tropa (sabe-se lá qual) animada, excitada, sempre alerta.
Mas, em certas ocasiões, o Capitão precisaria explicar melhor o que ele diz, apesar de ser difícil, muito difícil, compreendermos bobagens sesquipedais, como diria o velho Nelson Rodrigues.
Na edição desta quarta (04), a Folha traz matéria informando que Bolsonaro deve anunciar, até esta quinta (05), o nome do novo procurador-geral da República.
Diz um trecho da matéria:

O presidente não quis adiantar o nome, mas sinalizou que será do sexo masculino. "Tem que tirar nota 7 em tudo e ser alinhado comigo", afirmou. Segundo ele, o escolhido, seja qual for, vai "apanhar", apenas por ter sido escolhido por ele.

Como assim?
"Tem que tirar nota 7 em tudo e ser alinhado comigo".
Esse alinhamento significa mesmo o quê?
Que o novo PGR deve ser alguém intolerante?
Que deve entrever numa simples conjunção de estrelas o sinal de uma conspiração?
Que deve atribuir a ongueiros e rapazolas andando de bicicleta à margem das rodovias as responsabilidades pelas queimadas que torram a Floresta Amazônica?
Que deve ser alguém propenso a aceitar que se edifiquem monumentos à ditadura e à tortura?
Que deve ser um defensor da tese de que, para ser embaixador em outro país, basta ter fritado hambúrguer no frio do Maine e saber de cor a capital dos Estados Unidos, mas já ficar na dúvida sobre a capital do México?
Que deve viver proclamando o respeito à liberdade de Imprensa, ao mesmo tempo em que trata as críticas da Imprensa como se fossem o tempero de conspirações para derrubar governos?
Que deve ser algum seguidor do terraplanismo?
Que deve ser alguém disposto a acreditar no faça cocô um dia sim, outro não como princípio básico para proteger o meio ambiente?
Será esse o perfil de PGR dos sonhos de Bolsonaro?
Seria esse um PGR totalmente alinhado com Bolsonaro?

terça-feira, 3 de setembro de 2019

“Fumaceira” toma conta da zona urbana de São Félix do Xingu



Moradores do município de São Félix do Xingu, no sul do Pará, continuam literalmente sentindo na pele, como também sentindo em narinas e pulmões a dentro, os efeitos das queimadas criminosas que tomam conta de toda a região.
As fotos que vocês veem acima foram feitas, na tarde desta terça-feira (03), por leitora do Espaço Aberto que depois as mandou para o blog. Não precisou nem sair de casa. Do apartamento onde mora, no centro da zona de urbana, ela apontou a câmera do celular para a área em torno e detectou isso aí: uma intensa fumaceira que castiga a cidade nesta época do ano e deixa muita gente com dificuldade para respirar.
“A cidade tem uma ‘neblina’ constante no horizonte por causa das queimadas. Da minha casa frequentemente vejo focos de incêndio. A casa fica só  fuligem. Mas nem sempre”, diz a leitora, que prefere não se identificar.
No final de agosto, pesquisadores do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) e da Universidade Federal do Acre emitiram nota técnica que inclui São Félix do Xingu entre os dez municípios da Região Norte do país com mais alertas de desmatamento são também os que mais registraram focos de incêndio neste ano. Os outros são Apuí (AM), Altamira (PA), Porto Velho (RO), Caracaraí (RR), Novo Progresso (PA), Lábrea (AM), Colniza (MT), Novo Aripuanã (AM) e Itaituba (PA).
Na última quinta-feira, 30 de agosto, a Polícia Civil do Pará apreendeu na Área de Proteção Ambiental Trunfo do Xingu, conhecida como fazenda Ouro Verde, em São Félix do Xingu, dezenas de galões com gasolina que eram usados na queimada da mata existente na propriedade rural.
A apreensão ocorreu durante operação policial para cumprimento de mandado judicial de busca e apreensão no interior da área. O delegado da Polícia Civil, Alberone Lobato, que coordena a ação policial, informou que já foram ouvidos funcionários da fazenda, os quais confirmaram que o objetivo do uso do combustível era provocar o incêndio criminoso na floresta.

Prisão
O cumprimento do mandado de busca e apreensão ocorreu, por volta de 19h, após sete horas de viagem por 190 quilômetros de "estrada de chão", desde a sede do município, até chegar à área onde está sediada a fazenda. As investigações apontam que Geraldo Daniel de Oliveira é o suspeito de ter contratado mais de 50 homens para derrubar 20 mil hectares na área de Proteção Ambiental Trunfo do Xingu. Ele está com mandado de prisão decretado pela Justiça e permanece foragido. O irmão dele, João Brasil, foi preso em Goiás.
 Ao todo, segundo a polícia, o grupo já derrubou e tocou fogo em mais de 5 mil hectares de área desmatada na fazenda.

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Vem aí a pesquisa verdadeira. A de Olavo de Carvalho.



Talkey.
Bolsonaro, esse amante da verdade, dos fatos comprovados e da clarividência, dirá que isso não passa de mentira, de "fake new", de uma "armação" contra ele.
Então, pronto.
Vamos esperar agora a pesquisa do instituto de Olavo de Carvalho, aquele mesmo que não descarta a "fortíssima" possibilidade de a Terra ser plana.
Essa pesquisa, sim, é que deve revelar números verdadeiros.
Hehe.

sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Ver dois bolsonaristas numa DR é relaxante

Um aviso, claro e pedagógico, aos sujismundos


Ser claro e objetivo é uma arte, meus caros.
E quando se tenta aliar clareza e objetividade a um viés, digamos assim, meio pedagógicos, aí mesmo é que a arte se mostra esmerada.
O autor dos dizeres que estão nessa placa, que uma leitora do blog viu e fotografou na Avenida Pedro Álvares Cabral, nesta sexta (30), é desses artesãos da objetividade pedagógica.
Hehe.
É impossível - ou quase isso - que não se entenda o que ele escreveu.
Agora, se vão obedecer, aí já são outros 500.
Mas, aqui pra nós, nesta Belém, relegada ao abandono e castigada pela sujeira, a contundência é, sim, necessária para desestimular hábitos que emporcalham a cidade.

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Macron, salve da francesa Imerys os rios da Amazônia


ISMAEL MORAES
Advogado socioambiental na Amazônia de comunidades tradicionais
Twitter @ismaeladvogado

Será que o presidente francês Emmanuel Macron está sendo sincero em suas preocupações ecológicas? Então, vamos a fatos e esperemos a reação.
A multinacional francesa Imerys Rio Capim Caulim S.A explora caulim em Ipixuna do Pará e o envia a Barcarena através de um mineroduto de quase 250 km cuja construção implicou na devastação de milhares de hectares de floresta amazônica.
Nesse extenso percurso, o mineroduto despeja contaminantes não tratados em diversas microbacias hidrográficas que banham centenas de comunidades ribeirinhas e quilombolas de pelo menos 4 municípios. Além de afetar pequenos cursos d´água, os despejos de rejeitos de mineração para limpeza do mineroduto tornam imprestável a água em vários pontos da macrobacia hidrográfica do importantíssimo rio Capim, que ela adotou como nome.
Entretanto, é ao chegar a Barcarena que a noble dame française Imerys mostra o seu talento destruidor e poluidor : os seus depejos diretos exterminaram toda a fauna aquática e toda a cadeia de fitoplânctons e transformou o rio Curuperé, desde as suas nascentes, num esgoto sem vida, hoje totalmente esterelizado pela utilização em grande escala de ácido sufúrico no seu processo produtivo, causando fome e miséria a milhares de famílias ribeirinhas que dele dependiam para a sobrevivência. Estudos desenvolvidos pela pesquisadora Simone Pereira do Laboratório de Química Analítica e Ambiental – Laquanam, da UFPA, feitos no de 2014 a pedido do MPF, quando referido centro de pesquisas elaborou um “Estudo da Qualidade da Água de Consumo de Moradores do Município de Barcarena” demonstram que as atividades dessa indústria de capital francês também comprometem a água para beber de famílias em Vila do Conde e em diversas outras localidades, como no Bairro Industrial, nas Comunidades Canaã e Maricá e, após, chegando à comunidade da Ilha São João quando o rio Curuperé desemboca no rio Dendê, ainda em Barcarena. Semana passada, o Instituto Evandro Chagas publicou no International Journal of Enviromental Reseach and Public Health trabalho onde pesquisadores seus comprovam ter encontrado elementos da cadeia produtiva da Imerys em sangue humano de moradores do Bairro Industrial.
A Imerys já protagonizou – inclusive com rompimento de bacias de rejeitos industriais (a Bacia 3 rompeu em 2007) – diversas tragédias ambientais e humanas em Barcarena. A Imerys até hoje despeja efluentes industriais, sem tratamento para retirada de metais pesados do processamento do caulim, diretamente no rio Pará, um dos mais importantes de toda a Bacia Amazônica!
O presidente francês Emmanuel Macron defende que os países do G7 intervenham na Amazônia brasileira justificando preocupação ambiental.
Perfeito!
Então, diante desses fatos, como brasileiro, sugiro que ele faça logo uma coisa que como presidente da França está ao seu alcance imediato : determine a suspensão das atividades da Imerys Rio Capim Caulim S.A, cujo capital é francês. E faça mais, obrigue essa empresa francesa a custear a recuperação dos rios Curuperé e Dendê, assim como os diversos pontos poluídos da bacia do rio Capim.
E tambem fica o desafio ao presidente Jair Bolsonaro : por que o Ibama, a ANA e a ANM não interditam e multam a Imerys em decorrência das evidentes atividades poluidoras dessa empresa francesa?

Justiça Federal em Belém rejeita liminar que pretendia impedir presidente de indicar filho para embaixada

Resultado de imagem para eduardo bolsonaro psl sp
A Justiça Federal negou, nesta quarta-feira (28), a concessão de liminar que pretendia impedir o presidente Jair Bolsonaro de indicar seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para ocupar o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos (EUA).
Ao apreciar o pedido, o juiz federal Henrique Jorge Dantas da Cruz, da 1ª Vara, afirma que deve ser respeitada a soberania popular prevista no artigo 14 da Constituição Federal, “pois foi o povo quem elegeu por vontade livre e consciente o presidente da República, o qual tem a prerrogativa de nomear chefes de missão diplomática de caráter permanente, e os senadores, aos quais compete privativamente aprovar ou não essa escolha”.
A decisão (veja a íntegra neste link) destaca que “processo judicial não é o instrumento adequado para ‘um grito de revolta e indignação contra a imoralidade que campeia nas entranhas das instituições brasileiras, do Acre ao Rio Grande do Sul’”, conforme diz o autor da ação. Por isso, o magistrado destacou que a análise judicial sobre esse caso tem, na sua essência, a discussão sobre hipotético nepotismo na eventual indicação do filho do presidente da República para chefiar missão diplomática de caráter permanente no exterior.
Cargo político - Para o magistrado, de acordo com a Constituição, cargo político é cargo de governo e de existência necessária. Já cargo administrativo é criado por lei e está localizado no quadro administrativo (cargo em comissão, cargo de provimento efetivo e função de confiança). “Portanto, o auxiliar do presidente da República na condução da política pública internacional é desenganadamente cargo político”, escreve o magistrado.
O juiz lembra que no Supremo Tribunal Federal há vozes que, apesar de a restrição da Súmula Vinculante n° 13 não incidir na nomeação de cargos políticos, ressalvam certa análise em situações de inequívoca falta de razoabilidade, por ausência manifesta de qualificação técnica ou de inidoneidade moral de pessoas indicadas. Mas, em casos como o da indicação do deputado para embaixador nos Estados Unidos, Henrique Cruz entende a Constituição atribuiu ao Senado Federal, e não o Poder Judiciário, a competência para analisar a qualificação técnica dos indicados.
A decisão reforça ainda que “o Judiciário deve atuar para assegurar os direitos fundamentais e as regras da democracia. Não pode, no entanto, suprimir o jogo político nem a prevalência da vontade majoritária quando ela é legitimamente manifestada. O fato de o Poder Judiciário ter a palavra final nas controvérsias que lhe são apresentadas não lhe dá o direito de se presumir demais de si mesmo.”

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Ofensas diárias, armas e interferências de filhos minam governo Bolsonaro, diz pesquisa

A Confederação Nacional do Transporte divulgou nesta segunda-feira sua 144ª pesquisa de opinião, em parceria com o Instituto MDA.
O levantamento, realizado de 22 a 25 de agosto de 2019, reuniu 2.002 entrevistas, entre os dias 22 e 25 de agosto, em 137 municípios de 25 Unidades da Federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.
A aferição aponta o desgaste do governo Bolsonaro, uma altíssima percepção de que a questão do meio ambiente é muito importante e ressalta que as três piores ações, nestes primeiros oito meses, são o decreto da liberação da posse e porte de arma / liberação das armas (39,1%), o uso de palavras ofensivas e comentários inadequados (30,6%) e o contingenciamento de verbas da educação (28,2%) e Deixar os filhos dar opinião sobre integrantes e ações de seu governo (24,4%).
Para os entrevistados, as melhores ações do governo foram: combate à corrupção (29,6%), Segurança / mais policiamento nas cidades / combate ao crime organizado / combate ao tráfico de drogas (27,5%), final do horário de verão (18,1%), redução do número de ministérios (16,1%) e avanços na Reforma da Previdência (15,1%).
Veja os gráficos abaixo, pinçados do site da CNT.




Para mais dados sobre a pesquisa, clique aqui.