sexta-feira, 27 de novembro de 2009

A Casa da Juventude entre a festa e a bola na trave

Vejam o convitão aí em cima.
A festa será do arromba.
Quem convida?
O governo do Estado. Ou a Casa Civil, como queiram.
Vão lá.
Está programada uma série de apresentações artísticas e culturais de grupos formados por jovens dos programas de governo.
Entre as atrações, DJ, Dança do Boto e grupo de carimbó, de alunos do ProJovem Urbano de Marituba, Igarapé-Miri e Vigia, além de grupos de fanfarra e de hip hop, do projeto "Escola de Portas Abertas".
Segundo a Agência Pará, a governadora Ana Júlia assinará o Pacto pela Juventude, documento de compromisso com os direitos do segmento, proposto pelo Conselho Nacional de Juventude, que estará representado pelo seu presidente, David Barros.
A inauguração da Casa, segundo consta do site do governo do Estado, “é mais um passo na consolidação das políticas do governo para atender a juventude, que representa cerca de 30% da população paraense. São mais de dez programas de estímulo à educação, à geração de emprego e renda e ao esporte. A mais recente conquista para o segmento foi a aprovação da meia passagem intermunicipal, projeto de lei de autoria do Executivo e já sancionado pela governadora no último dia 13 de novembro.”

Bola na trave
Em seu blog, o Juventude em Pauta, o petista Leopoldo Vieira, numa postagem intitulada Casa da Juventude parece mais uma bola na trave, diz que “a Casa da Juventude será a sede operacional do ProJovem e do Procampo, ambos vinculados à Casa Civil, do secretário pré-candidato a deputado federal Cláudio Puty”.
Segundo Leopoldo, uma guerra foi travada nos bastidores para assegurar a fala de David Barros. Acrescenta que não terá direito à voz o Conselho de Juventude do Estado do Pará e a Coordenadoria de Promoção dos Direitos da Juventude, Guilherme Abrahão à frente, que perdeu o comando da Casa para a ex-adjunta da Secult, Nádia Brasil.
“Parlamentares que possuem produção legislativa voltada aos jovens não foram convidados especiais a falar (como deveriam ter sido), embora intimados para o evento, conforme rito de Cerimonial. A questão é que o critério do evento é menos político e mais lúdico-eleitoreiro, em que pese os esforços de setores internos ao governo de aproveitar o momento para tentar projetar a tão aguardada e desejada agenda pública juvenil. Na trave, de novo. Todo caso, a ‘torcida’ se anima, porque ainda há três dias para cirurgias de rota”, conclui Lepoldo, na informação postada no dia 24, terça-feira passada.

13 comentários:

Anônimo disse...

Com seus textos bem elaborados, o que é um mérito raro, reconheça-se, Leopoldo tenta desviar os reais motivos de suas críticas às ações da Casa Civil pós-Charles Alcântara, seu ex-chefe. As críticas são fruto, sim, de divergências não só político-partidárias – tendo em vista que deixou a DS, corrente do atual secretário –, mas decorrem também de divergências pessoais com quem virou seu “arqui-inimigo”. E aí, mano, palavras bonitinhas e bem arrumadas só convencem quem não tem capacidade crítica de avaliar o que de fato o governo tem feito pela juventude; mas eu disse o governo, não a Casa Civil, menos ainda a Seter, a secretaria pela qual ele tem um apreço político especial, assim como seu novo chefe, o deputado Bordalo. Infelizmente, o PT é seu pior aliado.

Anônimo disse...

Essa casa da "juventude" é um palanque político SIM para tentar projetar o tão puty que quer a qualquer custo ficar conhecido

Anônimo disse...

Infelizmente uma espaço que era para a juventude colocam pessoas para coordenar que já são barrocas, como pode dar certo?

Leopoldo Vieira disse...

Anônimo,

A verdade sobre a infeliz concepção de juventude predominantedo governo, raíz de seus equívocos está aqui, na chamada da inauguração da Casa da Juventude, no site PA.GOV.BR:

Assistência Social
26/11/2009 18:32:00
Governadora inaugura casa para consolidar políticas públicas para a juventude

Como você pode ver, não tem chefe, nem ex-chefe, nem arquinimigo. Tem política. Sua conversa é de outra seara, a de qe vê o mundo como uma grande teia de intrigas.

Anônimo disse...

Mas um palanque para iludir a juventude, porque políticas sérias para esse segmento é manobrado para fins eleitoreiro.

Anônimo disse...

De repente, depois de três duros anos, alguém resolve dar esmolas a juventude. Logo agora, às vesperas das eleições...

Anônimo disse...

Poster, só falta agora o Puty vir de novo aqui dizer que não teve guerra nenhuma.

Anônimo disse...

Muito bem colocadas as questõe do rapaz.
Onde já se viu um ato para jovens sem o setor jovem do governo?

Anônimo disse...

Assistência Social?

Tem gente no mundo que vê a política como uma grande rede de intrigas. A motivação é sempre um "chefe", um "ex-chefe" um "arquinimigo". O coletivo disso é "desqualificação".

Quem quer ajudar a governadora Ana Júlia tem que travar a disputa pela agenda pública. Jovem gestor, da tendência que coordena a gestão, ultragovernista, já disse em alto e bom som que "tivemos muitos avanços, mas os espaços criados pra juventude não vingaram, a exemplo da Coordenadoria, do Conselho, do espaço de juventude na Casa Civil. Algo que faltou são as políticas pra juventude do campo." Essa é uma linha que contribui.

Como venho dizendo aqui, o cerne da questão está na concepção de juventude predominante do governo e o exemplo mais claro está na chamada da inauguração da Casa da Juventude, com grifo meu abaixo, no site www.pa.gov.br:

Assistência Social

26/11/2009

18:32:00

Governadora inaugura casa para consolidar políticas públicas para a juventude

------

Isso seria um problema da jornalista que escreveu a matéria? Com a palavra, a Casa Civil e a juentude da DS...

Anônimo disse...

Secretário Cláudio Puty, se é assistência social porque a coordenadoria não ficou na SEDES? Porque o senhor teve a inteligência rara de alocar na SEJU?
Secretário Puty, é verdade que o Secretário de Justiça barrou a sua vontade de levar a coordenadoria para o Gabinete Civil e juntar com o Procampo e o Projovem na Casa da Juventude?
Senhor Claudio Puty, o sr acha mesmo que o jovem vota com toda essa homogeneidade pra justificar tanta demagogia eleitoreira?
O senhor se pensa assim vai pegar uma cossa em 2010.

Anônimo disse...

Seu Espaço,

Essa ai embaixo é do diretor da UAP, Pedro Fonteles, que tu gostas.
Repara no trecho que ele fala indiretamente do Puty.
Putz, esse secretário-chefe tá encrencado com a molecada.

A "casa da Juventude"


Amanhã, dia 27, às 18h, será inaugurada a chamada "Casa da Juventude", espaço que pretende ser o ponto de referência, articulação e debates no que se refere à política voltada para a juventude paraense.

Muito me estranha a construção desse espaço sem nenhum debate ou participação do Conselho Nacional de Juventude ou mesmo do Conselho Estadual, a própria Coordenadoria de Juventude do Estado, responsável (teoricamente) pela articulação de tais políticas, teve papel secundário para não dizer figurativo neste processo, as entidades estudantis representativas como UNE, UBES e UAP, e outras dos demais segmentos nem foram convidadas para qualquer diálogo. Na verdade antes mesmo da inauguração, este espaço já nasce com o descrédito e desconfiança em geral, e o que deveria ser um espaço para promover o protagonismo juvenil e a promoção das PPJ´s, deve se tornar quase um quartel-general dos iluminados da Casa Civil do Estado.

Me parece que vivemos um período de extensa tentativa de fabricar ídolos ou lideranças que teriam dedicado sua vida à luta popular, particularmente em defesa da juventude, digo também porque esta CASA, que será comandada por uma ex- secretária adjunta da secult, servirá durante os meses que antecedem as eleições para legitimar e reforçar a canditadura do novo mártir das lutas juvenis e dos movimentos sociais e articulador supremo do Governo do Estado ao Congresso Nacional (e aqui vou me dar o direito de não citar nome).

Nessa conjuntura de cantidaturas sendo carregadas pelo poder econômico e pela compra de votos, e que os mandatos populares tem seu espaço cada vez mais reduzido, cabe a quem se dedica diariamente a organizar e defender de fato os direitos os direitos da juventude, dos trabalhadores, das mulheres, mostrar a cara e travar o debate de idéias sobre as próximas eleições e seus candidatos.

Anônimo disse...

hehe O PT não muda. Não vai mudar mesmo. Até boa a intenção da democracia interna, mas que põem em risco a si mesmos, põem.
Não vê quem não quer que o governo, por mais benefícios que promova com o Bolsa Trabalho, gerenciado pela Seter, tem um bom leque de projetos para os jovens. Uns com recursos próprios, outros compartilhados com governo federal e até municípios. Bolsa Talento, Navegaprá, Escola de Portas Abertas, Oficinas de Comunicação Popular, Projovem Urbano/Campo/Adolescente/Prisional e patati e patata. Esse larilari do rapaz é sintomático apenas. Ora, o próprio governo anuncia que a Casa vai ter como função, também, sediar administrativamente dois programas de governo, além de oferecer o Infocentro para Juventude, a Tenda para Juventude e os espaços multiuso para oficinas. Qual o problema do rapaz quanto a isso? Não é bom compartilhar e aproveitar ao máximo os espaços físicos que o governo tem? E não ficaram de compor um conselho gestor? O Guilherme já não é coordenador da juventude na Sejudh? Por que ele teria de ser o coordenador da Casa, quando várias secretarias têm programas para o segmento? Ele tá pleiteando mesmo essa vaga ou é o Leopoldo que tá insistindo, para provocar dissenções? E é claro que Leopoldo, mesmo não dizendo, está legislando em causa própria, tá se referindo ao seu chefe, Bordalo, quando cita os "parlamentares que possuem produção legislativa". Como dar crédito?

Cássio de Andrade disse...

Caríssimo Paulo, não vou entrar nessa polêmica político-partidária em relação à CASA da Juventude. A juventude paraense há muito reivindica um espaço de articulação e de apoio e o Governo do Estado com essa iniciativa vem atender um sonho histórico desse segmemnto social, diga-se de passagem, inédita na administração pública estadual ou municipal local. Críticas são necessárias e não temos dificuldade nenhuma em respeitá-las ou, na medida do possível, absorvê-las. A juventude parense, ansiosa por políticas públicas efetivas, está acima de questiúnculas eivadas de dores e rancores. Sentimo-nos, no entanto, por dever de ofício e respeito ao público, independente de sua cor partidária ou ideológica, na obrigação de rebater leviandades (piores que as inverdades, estas subjetivas e de difícil mensuração). Á frente da CASA (Centro de Articulação Social e Apoio) à Juventude, estão pessoas sérias e que merecem o devido respeito pela sua história, trajetória nos movimentos sociais e compromisso com a ética no serviço público, entre as quais Nádia Brasil que, enquanto alguns usavam fraldas e/ou brincavam de games na infância típica da classe média e da pequena burguesia, esta esta companheira à frente da luta pela meia-passagem no CAHIS e no movimento estudantil como um todo. Esta ex-diretora adjunta da SECULT, chamada pejorativamente de governanta pelos preconceituosos de plantão que se arvoram à revolucionários juvenis, sempre pautou sua vida pela seriedade no trato da gestão pública, seja no período em que esteve na SECULT, seja na EGPA como Diretora Administrativa e Financeira, seja na SEDUC junto ao SOME ou mesmo no Parlamento Municipal. Esta moça tem história e caráter, coisa em falta em alguns representantes da geração atual de proto-esquerdistas. Essa é nossa diferença: temos nome, sobrenome e história, e não temos a verdade absoluta como guia. Procurem a CASA e serão sempre bem vindos! Aproveitem que, "o véio sol tá la fora, batendo o tambor da dança".