segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Imagine Belém...

Belém é uma cidade linda.
Veja aí em cima, na foto do blog, com a Praça Batista Campos em destaque.
Não é linda?
Belém faz hoje 393 anos.
Belém merece o nosso abraço, o nosso carinho, a nossa afeição.
Belém merece os nossos festejos mesmo na condição em que se encontra: de uma Belém que dá medo.
Imagine, então, como não amaríamos Belém se Belém fosse outra.
Imagine Belém...
Imagine Belém com portas e janelas escancaradas a qualquer hora do dia ou da noite.
Imagine Belém sem grades a enjaular inocentes.
Imagine Belém sem saidinhas.
Imagine Belém sem médico morto em assalto, sem procurador morto em assalto, sem advogado morto em assalto.
Imagine Belém sem ninguém morto em assalto.
Imagine Belém sem o pobre, aquele que mora lá na periferia, aquele que mora nas invasões, imagine só esse aí protegido contra qualquer violência, contra qualquer assalto.
Imagine isto aqui, sonhado e imaginado por Vera Braga:

Vamos resgatar o direito de poder andar pelas suas ruas à sombra das mangueiras, apreciar seus casarões antigos, tomar um tacacá ou sorvete, sentar nos bancos de nossas praças tão bonitas, ver o sol se pôr na baía.”

Imagine Belém com famílias sentadas à porta de suas casas num final de tarde, trocando as últimas fofocas do dia.
Imagine podermos tomar nosso tacacá em paz em Belém, com nossos carros estacionados com os vidros abertos e alarmes desligados.
Imagine podemos andar tranquilamente pelas calçadas de Belém, sem nos desviarmos do outro que vem à nossa frente, como medo de que ele seja um bandido.
Imagine Belém se todos, ricos e pobres - mais os pobres que os ricos - tivessem pleno acesso a serviços e equipamentos públicos qualificados.
Imagine Belém se a água encanada chegasse aos lares de todo mundo.
Imagine Belém se os pronto-socorros – um em cada bairro da cidade - estivessem com suas equipes completas.
Imagine Belém com uma rede pública de saúde entre as melhores do País.
Imagine Belém uma rede de ensino público de excelência, com prêmios conquistados além-fronteiras.
Imagine Belém com todo mundo bem-alimentado.
Imagine Belém sem mendigos pelas esquinas.
Imagine Belém sem menores abandonados nas ruas.
Imagine Belém sem corruptos, sem dilapidadores dos cofres públicos, sem demagogos, sem cidadãos que se servem do dinheiro público, em vez de servirem ao público sem qualquer remuneração.
Imagine Belém sem corruptores.
Imaginemos todos nós nos abraçando hoje, em Belém.
Imagine só Belém em Paz!

Talvez você diga que eu sou um sonhador
Mas não sou o único
Desejo que um dia você se junte a nós
E o mundo, então, será como um só

Os versos acima, você sabe, são versos de Imagine, de John Lennon.
Então, cantemos assim:

Talvez você diga que eu sou um sonhador
Mas não sou o único
Desejo que um dia você se junte a nós
E Belém, então, será como uma só

Se Lennon sonhou, por que nós não?
Se Lennon sonhou, por que não você?
Imagine Belém...
Bom Dia, Belém.
Com o nosso abraço, o nosso carinho, o nosso afeto.

5 comentários:

Eliana Gerânio Honório disse...

Paulo, imensas saudades.

Poster disse...

Olá, Eliana.
Você de novo por aqui. Seja bem-vinda.
Abs.

Anônimo disse...

É, caro poster, essa linda Belém do texto, só na imaginação.
Infelizmente.
Ainda assim, cantemos parabéns para a nossa outrora "bela cidade morena". Mas cantemos baixinho, com as cortinas fechadas e tendo como testemunha sómente a luz de uma velinha para não chamar a atenção.
Se não, um pivetão ainda assalta e leva o bolo!

Poster disse...

Pois é, Anônimo.
Mas vamos imaginar...
Pelo menos por hoje.
Abs.

Anônimo disse...

Imaginagines que aqui e terra de direitos.E acordes a dura realidade da nossa capital do atraso , como diz o outro a verdadeira Nova Delhi ou faixa de gaza.