quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Protesto e expressão racista marcam dia

No AMAZÔNIA:

Ativistas sociais bloquearam parcialmente na manhã de ontem a principal via interna da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) em protesto ao livre acesso dos carros de passeio dentro da instituição. Eles alegavam que o excesso de veículos trafegando no espaço colocava em risco a segurança dos pedestres que estão acampados. Com os ânimos exaltados, houve tumulto entre os manifestantes, a organização do Fórum Social Mundial e os motoristas que tentavam forçar a passagem de veículos.
Adotar um discurso politicamente correto foi um problema persistente até mesmo entre os manifestantes que se propõem a construir 'um outro mundo possível'. Durante o embate com a organização do FSM, um dos ativistas xingou o representante do Fórum de 'preto'. Foi o suficiente para acirrar ainda mais os ânimos e gerar um princípio de tumulto, que foi apartado pela turma do 'deixa disso'. 'Quer brigar, então pode vir. Ele mexeu com a minha raça, irmão', bradava Enrico Rocha, que recebeu o apoio de parte dos manifestantes.
Depois de mais de duas horas de protesto e congestionamento, o bloqueio foi direcionado para o principal trevo, sendo permitido apenas a passagem dos carros de apoio e abastecimento, saúde e bombeiros.
'Tem muito playboyzinho que veio com a família passear aqui dentro. É preciso levar em consideração que temos aqui mais de 100 mil pessoas no Fórum, muitas delas acampadas, que não têm lugar por onde andar, senão as ruas. Se deixarmos todo carro passar, estaremos colocando em risco a vida destas pessoas', afirmou André Baccili, um dos organizadores do protesto. Para o bloquear a pista, os manifestantes utilizaram vários contêineres de lixo.
Esta foi a segunda manifestação do tipo desde o início do FSM. A primeira foi na noite de terça-feira. 'Por volta de 22 horas de ontem (anteontem) fechamos toda a rua, o pessoal da organização veio conversar com a gente e foi dito que hoje de manhã o problema não continuaria, mas não cumpriram o acordo. Hoje de manhã um monte de carro estava passando de novo, por isso nós decidimos que não iríamos mais deixar passar', afirmou Alexandre Ribeiro.
Como o bloqueio foi feito no meio da via principal, em frente ao principal acampamento da juventude no FSM, mesmo os carros pequenos que concordavam em voltar, tiveram dificuldade de fazer o retorno dado o grande número de pedestres, provocando um congestionamento ainda maior no local.

Um comentário:

Alcyr Lima disse...

Aproveitando a "deixa", o que o André Baccili disse é verdade. Da minha janela, observo uma enorme quantidade de automóveis particulares na Perimetral, vários deles com dois passageiros ou apenas o motorista. Se a luta é por um mundo possível, porque entulhar a principal via do forum com automóveis particulares? Muitos visitantes passam, ida e volta, a pé, a caminho dos territórios do FSM para se livrarem do congestionamento. Essa turma dos carrinhos, talvez a grande parte seja de Belém mesmo, quer um mundo melhor, mas não faz um pequeno esforço: utilizar o transporte coletivo, mesmo do jeito que está, pois só assim saberão porque queremos um outro mundo. Mas como os "pleiboizinhos" arranjam sempre alguém para dar um jeitinho ($$$), já entram na Ufra com seus brinquedinhos. Acho que só os carros de apoio deveriam ter trânsito livre, o transporte coletivo deveria prevalecer, pelo menos neste período do forum. Durante toda manhã e parte da tarde o engarrafamento é gigantesco (ontem, por volta de meio-dia, estava em frente ao portão da EMBRAPA, na Itororó).