sexta-feira, 16 de abril de 2010

“Há preconceito contra mulher bonita”, diz Kaveira

O ex-vereador André Lobato, o Kaveira (na foto ao lado, com a esposa), disse ontem ao blog, por telefone, que partiu dele e do grupo político que integra a iniciativa de pedir ao governo do Estado para desconsiderar a nomeação da mulher dele, a atriz e ecologista Elida Braz, para desempenhar as funções de assessora especial da governadora Ana Júlia. O ato, de exoneração, segundo confirmou o próprio Kaveira, foi publicado nesta quinta-feira (15), numa edição suplementar do Diário Oficial do Estado.
Segundo Kaveira, a carta, encaminhada formalmente ao subchefe da Casa Civil do governo do Estado, Milton Resende, foi escrita ainda na noite de quarta-feira, mesmo dia em que o DO publicou o ato de nomeação de Elida Brás. Na carta, há o pedido para ser desconsiderado o ato que nomeou Élida para ser lotada na Governadoria.
Kaveira, filiado ao Partido Verde e atualmente militando na Apaverde, um ONG voltada à preservação ambiental e à doção de órgãos, atribuiu basicamente à “hipocrisia” e ao “preconceito contra mulher bonita”, além da tentativa de atingir com críticas o governo do Estado, as razões que levaram à polêmica criada com a nomeação de sua mulher para assessora especial do governo do Estado.
A seguir, os principais trechos da conversa de André Kaveira com o repórter, no início da noite de ontem, logo depois de confirmada por ele mesmo a exoneração de Élida Braz.

PRECONCEITO
“Foi criada uma grande celeuma sobre essa nomeação. Isso demonstra um grande preconceito das pessoas, que fazem uma avaliação de que uma mulher que é bonita não pode estar associada a uma atitude competente. Está havendo um grande preconceito das pessoas nessa avaliação, em detrimento de uma série de atributos que a Elida tem.”

RAZÕES POLÍTICA DA NOMEAÇÃO
“Ninguém, em nenhum momento citou que ela é filiada a uma agremiação partidária há 11 anos, que é o Partido Verde, que por ser da base de sustentação do governo faz parte de um processo de coalizão onde muitas vezes as agremiações consortes cedem pessoas de seus quadros para ajudar na administração. É público e notório que esse governo tem alguns problemas na área ambiental. E a convocação da Elida se deu no momento em que o Partido Verde assume a liderança do governo na Assembleia Legislativa.”

MILITÂNCIA ECOLÓGICA
“Ninguém citou também que a Elida é presidente da Juventude Municipal. É membro do Diretório Municipal de uma agremiação partidária. A Elida é presidente da Juventude Verde. A Elida foi a única representante da Amazônia a se fazer presente na COP 15, a participar de 15 debates de grande relevância para o futuro do Planeta. A Elida foi a única representante paraense no Global Greens 2008, que é um encontro mundial dos ambientalistas, que aconteceu em São Paulo (SP). A Élida, até o presente momento, é a única convocada da Amazônia a participar de um encontro em Guadalajara, no México."

GAROTA DE PROGRAMA
“Então, tem uma série de trabalhos que a Elida faz que foram desqualificados. Isso dá uma conotação como se ela tivesse sido uma stripper, similar a uma garota de programa, uma coisa que as pessoas que convivem com a gente sabem que não é verdade. Ela é uma mulher que tem um casamento sólido há 17 anos comigo. Houve uma tentativa de denegri-la, de desqualificá-la, com um viés bem forte de atingir o governo, a governadora. Só que ela foi usada, ela virou alvo.”

FUNÇÕES NA ASSESSORIA
“A Elida foi chamada com a missão de desenvolver [como assessora especial] políticas voltadas para a juventude, relacionadas à sustentabilidade e meio ambiente, uma área onde o governo apresenta graves problemas.”

AS RAZÕES DA DESISTÊNCIA
“Devido a toda essa repercussão, nosso grupo fez uma avaliação de que a gente, na realidade, tem pouco tempo. O tempo hoje é preciosíssimo. Temos muitas coisas relevantes, coisas aqui e fora de Belém, fora do Estado. Temos compromissos, palestras em que a gente representa a ONG (Apaverde). Essa situação criou uma celeuma tão grande que pra gente é melhor abrir mão disso e pedir ao governo que voltasse atrás nessa nomeação. E podemos contribuir com o governo em outras etapas. Podemos contribuir com o governo enquanto terceiro setor, de uma forma muito positiva."

ATIVIDADES COMO ATRIZ
“Percebemos um grande, um enorme preconceito de todo um trabalho que a Elida tem como pessoa pública e que foi desconsiderado. Ela foi tratada como uma ex-stripper pela Folha de S.Paulo. Na realidade, ela é uma atriz formada, com DRT. O trabalho dela de militância política também foi subestimado. Tem um trabalho sociocultural. Já participou de vários filmes, inclusive um filme internacional com o Dalai Lama que fala sobre as mudanças climáticas e o aquecimento global. Foi rodado em 2004. Já participou de filmes ao lado de Dira Paes. Já participou de festivais de cinema. Já fez teatro. Já participou de uma série de atividades que foram na realidade desconsideradas. Mas a trataram de uma forma jocosa.

RELAÇÕES CONJUGAIS
"É pública e notória a relação que eu tenho com a Élida. Somos casados há 17 anos. Eu acho que nós temos uma avaliação de que as pessoas daqui são tão hipócritas e conservadoras que todos os amigos que eu tenho ainda têm amantes. Estão tão atrasados que ainda têm uma amante. Mas nós somos um casal que vive uma relação muito sincera, de muita convergência. Nós somos uma dupla de parceiros mesmo. Estamos juntos há muitos anos. Somos uma lição de vida para muitos deles."

ATUAÇÃO COMO VEREADOR
“Já tive uma passagem pela vida pública. Já exerci um mandato popular com muita transparência. Não me locupletei de verbas públicas, não nomeei parentes, não nomeei a Élida, não pratiquei um desvio sequer em minha atividade política.”

CANDIDATURA EM 2010
“Nosso partido tem um projeto nacional através da Marina. Estamos aguardando um indicativo da executiva nacional. Somos soldados do partido, e uma decisão de partido é que vai nos orientar sobre qual o caminho a seguir. Mas, de qualquer maneira, estaremos sempre atuando no terceiro setor e a qualquer momento temos legitimidade para concorrer a um mandato. Na realidade, talvez a gente não estará aqui nesse período. Temos mais a intenção de ir para o Rio de Janeiro ajudar o companheiro Gabeira [candidato a governador]. Mas vamos atender ao indicativo do coletivo partidário ao qual nós pertencemos.”

12 comentários:

Anônimo disse...

A ANULAÇÃO DO ATO DE NOMEAÇÃO INTERNALIZOU E MATERIALIZOU FLAGRANTE DE DISCRIMINAÇÃO EM AFRONTA A CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA DE 1988, EM FACE DAS CIRCUNSTÂNCIAS EM QUE OCORREU.COM EFEITO, ESTE É UM ATO-FATO QUE TRANSPÕE OS INTERESSES E CONVENIÊNCIAS DAS PARTES E TERCEIROS ENVOLVIDOS,POIS TRATA-SE DE DISCRIMINAÇÃO CONTRA TODAS AS MULHERES QUE DE ALGUM MODO EXERCEM HONESTAMENTE E COM PROFISSIONALISMO ATIVIDADE NÃO VEDADA PELO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO. AO QUE SE SAIBA,A SRA. ÉLIDA NÃO ROUBA,NÃO FURTA, NÃO PARTICIPA DE MENSALÃO OU MENSALINHO,PARA VIVER COM DIGNIDADE.PORTANTO, FOI A DUGNIDADE HUMANA QUE FOI FERIDA COM O ATO DE CONSIDERAR NULO O ATO DE NOMEAÇÃO DAQUELA SENHORA. A DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS TAMBÉM FOI FERIDA.

Anônimo disse...

Pode ser que a Sra. Élida Kaveira queira refazer a biografia dela, é um direito que tem, afinal, todos temos o direito de recomeçar.

Mas sejamos francos: ela é conhecida como stripper - e há muitas fotos dela na internet exibindo suas performances! - e não como essa (quase) respeitável ecologista que o maridão sugere.

Na verdade, o lado "verde" da Sra. Élida é ignorada pelo grande público; já a bela e performática stripper é bem conhecida e, sinceramente, não acho que tenha havido preconceito, pois, afinal, para que serviria uma stripper nos quadros do Governo do Estado do Pará?

Tanto disse...

Acho que o que a Élida faz ou não faz, de noite, como DJ, produtora cultural, nada disso importa! Importa que ela tenha capacidade para contribuir com algo qualquer para o governo. Pelo que relata o marido dela, capacidade não é problema, posto que ela tem larga experiência com causas ambientais.

E mais: vejo tanta gente nomeada com menos capacidade... e com ela surge o problema somente pelo fato de ser quem é, casada com quem é?

Maior lambança, ainda, é nomear e desnomear. Mesmo sendo o cargo de livre nomeação e exoneração, acho que era hora de manter a decisão e ser firme - a exoneração, mesmo que a pedido, só piora, a meu ver, a situação. Parece dizer: reconhecemos que ela não tem capacidade, e corrigindo o erro, exoneramos!

Eu a manteria!

Uma pergunta: o performático Eloy nunca poderá ser nomeado para nada? Nem o Kaveira poderá?

Anônimo disse...

Ô "seu" Kaveira; Dr. Kaveira, data vênia, tenha paciência.
Tá dificil aceitar que seja porque a sua senhôra é apenas e tão somente bonita.
E mais, se a (agora ex) nomeada aspone tem toda essa bagagem de competências elencadas por V.Sa, pra que e por que se sujeitar a receber essa merreca de R$1.500,00 em um DAS-aspone mixuruca??!!
Pra quê hein?!
Apenas por um cargo político?!
É muita falta de prestígio, seu K.
Ainda assim, em qualquer situação, isso é dinheiro público, descontado do Zé Povinho, que pena e sua muito pra tentar sobreviver.
E a maioria não tem nem uma graninha para comprar ingresso para assistir uma alegre performance Verde em vossa casa de shows.
Não mesmo.
Conte outra, seu K.

Anônimo disse...

Tem razão total o opinante das 11:20.
Imagine também que o Ney Matagrosso nunca seria nomeado para nada no contexto da questão. Se ainda resta alguma coisa a fazer agora é anular o ato que anulou a nomeação,assegurando a nomeação pré-existente, sob pena de ficar na história política e curricular da atual governadora como um triste capítulo para os presentes e futuros cidadãos de ato discriminatório por quem jamais deveria marginalizar e estigmatizar.Já parece existir um grande movimento para promover uma grande passeata NA CIDADE contra o ato que anulou a nomeação. É UM ABACAXI DAQUELES....

Luciana kellen disse...

Engraçado como todo discurso posterior a uma atitude esperada e inevitável parece um conjunto de justificativas sem razão de ser...

Quando soube da nomeação de Élida Kaveira a assessora pessoal da GOvernadora do Estado, Ana Júlia Carepa, a primeira pergunta que me fiz foi: O que a qualifica para tal função? Qual a formação de vida e de conhecimento científico que a torna a opção mais adequada para tal cargo? E observe que em nenhuma das perguntas estão embutidos sentidos pré-conceituosos.
É completamente compreensível os argumentos de Kaveira na tentativa de justificar o que o Governo do Estado deveria ter feito. Mas por favor, acreditar que a opinião pública pudesse aceitar normalmente a nomeação de uma pessoa que ainda parece estar ligada a uma vida aparentemente sem compromisso social (como a que era quando ainda atuava nas noites paraenses) é muita falta de maturidade política! Num último ano de mandato como vcs puderam acreditar que ela, como assessora pessoal da governadora, pudesse contribuir e efetivar politicas públicas na área do meio ambiente ou até mesmo da conscientização ambiental da juventude paraense?!
Caso a Élida Kaveira queira pleitear responsabilidades públicas por meio de cargos do governo, terá que se esforçar muito para mostrar aquilo que só amigos pessoais, sua familia e seu marido conseguem enchergar.

Anônimo disse...

Prefiro não comentar, fala sério, eu pensei que já havia visto de um tudo nesse governo.
Tem que ser feia pra ser inteligente? Então tá.

Anônimo disse...

rssssssssssssssssssss...

Anônimo disse...

É, seu Kaveira, diz que atua no 3º setor.
Mas tá tentando mamar no 1ºrão!!!!

Música incidental:
mamãe eu quero,
mamãe eu quero,
mamãe eu quero mamar...

traz a chupeta...

Anônimo disse...

"quem fuma e cheira, vota no Kaveira..." De quem é essa frase?

Anônimo disse...

Na real,este governo está desgovernado. O PT não é um partido é rePartido. Todo mundo manda, menos a Ana Júlia. Parem de fazer merda. Demitiram senhoras e senhores que anos serviram a este Estado com a desculpa de nomear concursados desqualificados e preguiçosos que quando dá 10 minutos de baterem o ponto já estão na frente do relógio biométrico de presença. São incapazes de ficarem um minuto a mais para resolver problemas de suas repartições. Se este governo é do povo, se este governo tem como sua maior obra o povo, então é final dos tempos, é melhor cometer-mos um suicídio coletivo.
Abaixo nomeações de pessoas desqualificadas, o Pará não é casa de mãe joana. Parem. Se preocupem em tirar crianças das ruas. Se preocupem com políticas públicas para diminuir a marginalidade e consequentemente a violência que assola nosso Estado. Abaixo o PT.

Anônimo disse...

E afinal? pq a bela mulher (sem dúvida !) não se manifesta ?